Economia colaborativa: o compartilhamento do consumo

18 de outubro de 2019 Notícias

A economia do compartilhamento surge como um novo modelo de mercado sobre uma diferente forma de acesso a bens e serviços. O consumo baseado na produção de valores de uso comum vem impactando, quase sempre positivamente, as nossas rotinas. 

Diferente do que muitos podem pensar, esse não é um modelo de troca que não visa lucro. Pelo contrário, são novos negócios nascendo desconectados das ideias de posse do século passado, onde a acumulação de bens era sinônimo de prosperidade e porque não, de poder. 

Atualmente, essa visão da felicidade nas necessidades individuais está se transformando em um consumo mais minimalista, onde adquirir algo, que não totalmente essencial, não faz mais sentido. Bens e serviços compartilhados e as novas organizações em redes estão se desenvolvendo rapidamente para provar que essa nova economia de consumo é possível.

Os espaços de trabalho compartilhados e colaborativos são apenas um exemplo disso. Porque a energia criativa não flui se trabalharmos sozinhos ou muitas vezes, somente com os mesmos colegas da empresa. Trocar uma ideia com o outro, totalmente diferente de você, pode ser a chave para um conhecimento novo. 

Não faz sentido tampouco, você montar o escritório dos sonhos e investir alto em um começo árduo e incerto. Compartilhar seu local de trabalho recebendo os serviços de um escritório convencional que supra suas reais necessidades é um facilitador para que você foque somente no que é realmente importante, o seu negócio. Da mesma forma, quando você precisa se deslocar, compartilha uma carona, ou quando você viaja, compartilha uma hospedagem. São as novas formas de acesso, onde ter algo novo dá lugar a compartilhar o que já se tem. 

 

por Michele Hoeltz

Publicação anterior: